Home > DOCES E SALGADOS > São Paulo aparece em penúltimo lugar em ranking de mobilidade urbana

DOCES E SALGADOS

29/10/2019 13:56 por Redação

São Paulo aparece em penúltimo lugar em ranking de mobilidade urbana

Em estudo da Kantar com 31 cidades de cinco continentes, capital paulista está à frente apenas de Nairóbi, no Quênia

Berlim é líder mundial em mobilidade urbana, de acordo com o estudo Mobility Futures, da Kantar. A capital alemã aparece no topo devido às suas viagens econômicas e facilidade de acesso a uma ampla variedade de infraestrutura de transporte público e serviços de compartilhamento de viagens.

Em sentido oposto, devido à infraestrutura pública limitada, São Paulo ficou em penúltimo lugar no ranking de 31 cidades, vencendo apenas Nairóbi, capital do Quênia.

As cidades incluídas no estudo:

• Amsterdã (Holanda)
• Auckland (Nova Zelândia)
• Pequim (China)
• Berlim (Alemanha)
• Chengdu (China)
• Chicago (EUA)
• Cidade do México (México)
• Cingapura (cidade-Estado)
• Copenhague (Dinamarca)
• Guangzhou (China)
• Jacarta (Indonésia)
• Joanesburgo (África do Sul)
• Londres (Inglaterra)
• Los Angeles (EUA)
• Madri (Espanha)
• Manchester (Inglaterra)
• Milão (Itália)
• Montreal (Canadá)
• Moscou (Rússia)
• Mumbai (Índia)
• Munique (Alemanha)
• Nairóbi (Quênia)
• Nova York (EUA)
• Paris (França)
• Phoenix (EUA)
• São Paulo (Brasil)
• Seul (Coreia do Sul)
• Sydney (Austrália)
• Tóquio (Japão)
• Varsóvia (Polônia)
• Xangai (China)

As dez primeiras do ranking de mobilidade urbana da Kantar:

01. Berlim: 90,7 pontos
02. Auckland: 90,0
03. Moscou: 84,1
04. Nova York: 82,9
05. Munique: 79,5
06. Milão: 79,0
07. Montreal: 78,5
08. Varsóvia: 78,4
09. Londres: 75,1
10. Paris: 74,7
30. São Paulo: 29,7

O estudo é baseado em cerca de 20 mil entrevistas com usuários de diferentes meios de transporte e viajantes frequentes em 31 cidades, juntamente com entrevistas detalhadas com 53 dos principais especialistas em mobilidade do mundo. Segundo a Kantar, a ideia é ajudar no planejamento e desenvolvimento de transporte urbano em todo o mundo e a moldar estratégias de negócios para novos e já existentes players no setor dos transportes e mobilidade.

O Mobility Futures também deu origem a outros rankings, e São Paulo se posiciona bem em dois deles. Na lista de cidades com os Usuários Mais Conscientes – que mede quantos dos entrevistados usam meios de transporte com taxas baixas de emissão de dióxido de carbono -, a capital paulista fica em oitavo lugar.

Segundo a análise, as cidades asiáticas lideram o top 10, com Tóquio ocupando o primeiro lugar. Isso é causado por uma baixa proporção de motoristas solitários e uma alta proporção de caminhantes, ciclistas e usuários de transporte público. Na Europa, Londres se classifica como a cidade de passageiros mais amigos do ambiente por causa de sua extensa rede ferroviária e subterrânea.

As dez capitais com usuários mais conscientes:

01. Tóquio: 84,7 pontos
02. Pequim: 78,6
03. Cingapura: 73,3
04. Nairóbi: 72,3
05. Londres: 69,6
06. Copenhague: 68,5
07. Seul: 68,1
08. São Paulo: 66,4
09. Amsterdã: 65,2
10. Moscou: 64,6

Viajantes infelizes

São Paulo se posiciona bem em uso de apps de mobilidade, mas têm viajantes infelizes. Os apps incluem serviços de navegação e mapeamento, planejadores de rotas, provedores de compartilhamento de carros, provedores de compartilhamento de bicicletas, provedores de transporte público local. Cada usuário usa em média quatro aplicativos, deixando a cidade em 8º lugar. “O que não é necessariamente um sinal de avanço”, segundo a Kantar.

As maiores cidades da América Latina estão atrás do resto do mundo no que diz respeito à mobilidade das cidades. São Paulo e a Cidade do México (25º) estão significativamente abaixo da média na análise de Kantar. Infelizmente, isso se traduz em passageiros muito infelizes. As duas cidades ficam na parte inferior do índice de Felicidade dos Usuários (São Paulo nº 28; Cidade do México nº 30).

Outras descobertas da pesquisa

• O carro ainda é rei: apesar das crescentes preocupações ambientais, os passageiros ainda amam seus carros por causa do símbolo de status, conveniência ou muitas vezes por necessidade. Globalmente, 39% dos viajantes urbanos dirigem sozinhos para trabalhar - mais do que qualquer outro modo de transporte.
• Amsterdã e Copenhague abrigam os passageiros "superciclistas" do mundo, classificados em nº1 e nº 2 no índice do ciclo de Kantar, respectivamente. Pequim vem em terceiro.
• Os residentes de Tóquio e Manchester (Reino Unido) são aqueles que mais andam a pé do mundo, com a proporção de passageiros que optam por caminhar para o trabalho atingindo 18% e 16%, respectivamente.
• O sudeste asiático também lidera o uso de aplicativos de viagem. Os residentes de Mumbai (Índia) e Jacarta (Indonésia) usam, em média, mais de cinco aplicativos para navegar dentro e fora da cidade. Na China continental, o número médio de aplicativos é menor que o resto do mundo, já que os fornecedores de compartilhamento de carros e bicicletas já se integraram a outros aplicativos mais amplamente utilizados, como o Baidu, para tornar suas ofertas ainda mais acessíveis.

“Nossa pesquisa revela que um dos maiores desafios que as cidades globais enfrentam hoje é afastar os passageiros da conveniência e conforto de seus carros e optar por opções de transporte mais sustentáveis. Compreender os pontos de dor e a resposta emocional das pessoas será essencial para promover uma mudança comportamental significativa”, afirma Guillaume Saint, líder global de automotivo e de mobilidade da Kantar.

A pesquisa completa estará disponível em português em novembro.

'
Enviando