Home > ADVILLAGE > CNN Brasil estreia neste domingo com sinal aberto na TV por assinatura

ADVILLAGE

14/03/2020 23:38 por Advillage

CNN Brasil estreia neste domingo com sinal aberto na TV por assinatura

Como degustação, novo canal de notícias poderá ser sintonizado por toda a base de assinantes da Claro/NET, Sky, Oi e Vivo

CNN BRASIL
A CNN Brasil estreia neste domingo (15), às 20h, com sinal aberto nas principais operadoras de TV por assinatura. Durante o período de degustação, o novo canal de notícias poderá ser sintonizado na posição 577 por toda a base de assinantes da Claro/NET, Sky, Oi e Vivo. No digital, a estreia será às 18h, com uma entrevista exclusiva de Monalisa Perrone com o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira.

A emissora não divulgou por quanto tempo o sinal ficará disponível a todos os assinantes. Após esse período promocional, somente assinantes de pacotes compatíveis terão acesso ao canal, seja por cabo, IPTV, satélite ou nos aplicativos das operadoras.

O programa de estreia será um especial reunindo todos os âncoras - Reinaldo Gottino, Taís Lopes, Daniel Adjuto, Caio Coppolla, Evaristo Costa, Gabriela Priolli, Phelipe Siani, Mari Palma, Luciana Barreto, Cassius Zeillmann, Cris Dias, Carol Nogueira, Monalisa Perrone, Daniela Lima, Willian Waack e Elisa Veeck.

Após o especial de estreia, o canal transmitirá ao vivo, com tradução simultânea, um debate entre Bernie Sanders e Joe Biden, pré-candidatos que buscam indicação nas primárias do Partido Democrata para enfrentar o republicano Donald Trump nas eleições de novembro. O debate será em Washington, a partir das 22 h no horário local (21h em Brasília).

A CNN Brasil tem sede na Avenida Paulista, em São Paulo, e escritórios em Brasília e no Rio de Janeiro, além de correspondentes na Argentina, Estados Unidos e Europa. O programa diário da âncora norte-americana Christiane Amanpour, que é chefe da CNN International, será legendado e exibido no Brasil.

A marca foi licenciada pela americana Turner para uma nova empresa comandada pelo jornalista Douglas Tavolaro, ex-vice-presidente de jornalismo da TV Record, e pelo empresário Rubens Menin, dono da construtora MRV e fundador do banco Inter. Tavolaro tem cerca de 35% de participação no negócio, e Menin, o restante.

Polêmicas

Em reportagem publicada na última segunda-feira (9), a Agência Pública observa que a presença de Tavolaro como um dos sócios da CNN – que por vários anos foi “um fiel subordinado do bispo Edir Macedo” (dono da TV Record) levantou a suspeita, já no ano passado, de que o líder da Igreja Universal do Reino de Deus poderia ser um dos sócios ocultos do novo canal.

Leia a reportagem da Agência Pública aqui.

Tavolaro negou, em entrevistas no ano passado, a existência de sócios ocultos e contestou os comentários sobre um possível alinhamento do novo canal com o governo Bolsonaro. Cabe lembrar que Edir Macedo perdeu alguns profissionais importantes para o novo canal, como André Ramos, diretor de jornalismo da Record no Rio de Janeiro, e Reinaldo Gottino, então apresentador do Balanço Geral.

Ainda segundo a reportagem, Macedo teria sido convencido de que o ex-aliado Tavolaro tornara-se um adversário. A Record, então, partiu para o ataque e exibiu três reportagens, em setembro de 2019, denunciando irregularidades da MRV relacionadas a prédios erguidos pela construtora no programa Minha Casa Minha Vida, e apontando que a empresa foi inserida na lista suja do trabalho escravo no Brasil.

A Pública resgata também uma entrevista ao UOL em que o vice-presidente do Grupo Bandeirantes, Paulo Saad, responsável pelos canais por assinatura e novos negócios, disse não ver na iniciativa do novo canal de notícias um projeto empresarial, pois a conta não fecha: “É estranho uma emissora que não fecha suas contas. Ela está investindo um dinheiro que o mercado não suporta. Eu sei quais são as rendas deles, e realmente não paga o salário de nenhum dos grandes nomes que contrataram”, afirmou. Nos cálculos do empresário, a emissora perderá mais de R$ 300 milhões em dois anos.

Em nota, em fevereiro, a CNN Brasil contestou os comentários de que sua chegada ao Brasil seria parte de um projeto político. E repudiou o que chamou de “declarações infelizes” de Paulo Saad. “A CNN vai produzir jornalismo profissional, isento e de qualidade, que defenderá os interesses da sociedade e será sustentada unicamente pelo mercado publicitário e de distribuição no Brasil, e outras unidades de negócio derivadas do uso da marca no País”, afirmou a emissora.

Leia também:

Daniela Lima troca Roda Viva e Painel da Folha pela CNN Brasil
CNN Brasil anuncia a contratação de Cris Dias para sua editoria de esportes
Monalisa Perrone é o novo reforço da CNN Brasil
CNN Brasil anuncia vice-presidentes de Jornalismo e Programação
CNN Brasil deve estrear no país no segundo semestre

Siga-nos no Twitter

'
Enviando