Home > ADVILLAGE > Audi conecta seus veículos com semáforos na Europa

ADVILLAGE

22/05/2019 14:42 por Advillage

Audi conecta seus veículos com semáforos na Europa

Experiência europeia do sistema, que já existe nos EUA, terá início em julho na cidade de Ingolstadt, no sul da Alemanha

AUDI SEMAFOROS
A Audi informou hoje que a partir de julho irá integrar em rede seus novos modelos de automóveis com os semáforos por meio da tecnologia Audi Traffic Light Information. A experiência serpa feita na cidade de Ingolstadt, no sul da Alemanha. Segundo a montadora, outras cidades europeias farão parte do projeto depois de 2020.

Com a nova tecnologia, os motoristas verão no painel qual velocidade é necessária para chegar ao próximo semáforo no sinal verde. Se isto não for possível dentro do limite de velocidade permitido, aparecerá uma contagem para a próxima fase verde. Nos Estados Unidos, os clientes da Audi vêm usando este serviço desde o final de 2016, diz a empresa.

A Audi é a primeira montadora no mundo a conectar em rede seus modelos com os semáforos. “O para e anda nas cidades é muito irritante. Ficamos felizes quando encontramos uma ‘onda verde’, mas infelizmente isso ocorre muito raramente. Com o recurso, eles dirigem com mais eficiência e mais relaxados, porque sabem se um semáforo a 250 metros à frente estará verde”, comenta Andre Hainzlmaier, responsável pela área de desenvolvimento de aplicativos, serviços conectados e cidades inteligentes da Audi. “Futuramente, dados anônimos de nossos veículos podem ajudar a mudar os semáforos nas cidades para melhorar as fases e o fluxo do tráfego”, acredita.

Nos EUA, os clientes da Audi vêm usando a função “Tempo Até o Verde” há dois anos: se o motorista chegar a semáforo vermelho, uma contagem no painel (que a Audi chama da “virtual cockpit” ou “head-up display”) conta os segundos até o próximo semáforo verde. Atualmente esse serviço está disponível em mais de 5 mil cruzamentos em cidades como Denver, Houston, Las Vegas, Los Angeles, Portland e Washington (capital).

“Os desafios para a introdução em série do serviço são muito maiores na Europa, onde o sistema de semáforos urbanos foi desenvolvido mais localmente e descentralizado, com grande variedade de tecnologias”, explica Hainzlmaier.

A montadora alemã quer oferecer a tecnologia em outras cidades da Europa, Canadá, EUA e China nos próximos anos.

Siga-nos no Twitter

'
Enviando