Home > DOCES E SALGADOS > IGP-M varia 0,68% em outubro, maior taxa desde junho

DOCES E SALGADOS

30/10/2019 08:30 por Redação

IGP-M varia 0,68% em outubro, maior taxa desde junho

Alta deve-se unicamente aos preços no atacado; índice em 12 meses fica em 3,15%

Após a variação de -0,01% em setembro, o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado, calculado pela FGV) acelerou para 0,68% em outubro. No mesmo mês do ano passado o IGP-M variou 0,89%.

Os resultados mensais do IGP-M em 2019:

• janeiro: 0,01%
• fevereiro: 0,88%
• março: 1,26%
• abril: 0,92%
• maio: 0,45%
• junho: 0,80%
• julho: 0,40%
• agosto: -0,67%
• setembro: -0,01%
• outubro: 0,68%

Em 12 meses (que vale para calcular o reajuste do aluguel de imóveis), o acumulado é de 3,15%. No ano, é de 4,79%.

Os analistas ouvidos semanalmente para o Boletim Focus, do Banco Central, previam uma variação de 0,75% no IGP-M de outubro. Para 2019, eles apostam numa taxa acumulada de 5,51%.

Dos três componentes do IGP-M, somente o IPA (preços no atacado) registrou aceleração.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que representa 60% do índice geral, variou 1,02% em outubro, contra -0,09% em setembro.

Os Bens Finais avançaram de -0,15% para 0,17%. A principal contribuição para o resultado foi do subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de -2,41% para 4,36%. Os Bens Intermediários subiram de 0,22% para 1,24%. A influência mais importante desse avanço partiu do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa variou de 0,07% para 7,19%.

As Matérias-Primas Brutas, por sua vez, aceleraram de -0,36%, em setembro, para 1,72% em outubro. Os itens que mais contribuíram para este movimento foram minério de ferro (-6,86% para 1,58%), milho em grão (0,38% para 8,08%) e laranja (-0,31% para 9,97%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30% do indicador, declinou de -0,04% para -0,05%.

Três dos oito grupos registraram baixas em suas taxas de variação: Habitação, Comunicação e Educação. No sentido inverso, as altas do período foram anotadas em Alimentação, Transportes, Despesas Diversas, Vestuário e Saúde.

Os destaques de cada grupo de despesa em baixa:

• Habitação: 0,36% para -0,21%
- tarifa de eletricidade residencial (1,28% para -2,07%)
• Comunicação: 0,53% para 0,11%
- tarifa de telefone móvel (1,15% para 0,36%)
• Educação, Leitura e Recreação: 0,16% para 0,06%
- passagem aérea (1,82% para -1,92%)

Destaque do grupo em alta:

• Alimentação: -0,80% para -0,36%
- hortaliças e legumes (-13,53% para -6,18%)
• Transportes: 0,03% para 0,05%
- gasolina (-0,53% para 1,00%)
• Despesas Diversas: 0,04% para 0,26%)
- cigarros (0,02% para 0,43%)
• Vestuário: -0,05% para 0,16%
- roupas (0,00% para 0,29%)
• Saúde e Cuidados Pessoais: 0,21% para 0,24%
- artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,27% para 0,10%)

O Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), representativo de 10% do IGP-M, recuou de 0,60%, em setembro, para 0,12% em outubro.

• Materiais, Equipamentos e Serviços: 0,19% para 0,27%
• Mão de Obra: 0,95% para 0,00%.

'
Enviando