Home > DOCES E SALGADOS > Primeiro-ministro conservador da Áustria cai após escândalo de corrupção

DOCES E SALGADOS

28/05/2019 08:59 por Redação

Primeiro-ministro conservador da Áustria cai após escândalo de corrupção

No poder desde dezembro de 2017, Sebastian Kurz não resistiu ao "Ibizagate", que atingiu em cheio seu vice-premiê de extrema-direita

O primeiro-ministro da Áustria, Sebastian Kurz, foi derrubado nesta segunda-feira (27) por uma moção de censura adotada pelos principais partidos da oposição, dez dias após a revelação do escândalo conhecido como Ibizagate.

No último dia 17, uma sexta-feira, o país foi sacudido por um vídeo divulgado à noite por dois veículos de comunicação alemães, em que então vice-primeiro-ministro austríaco Heinz-Christian Strache, líder do partido de extrema-direita Freedom (FPÖ), aparece conversando com uma mulher identificada como sobrinha de um oligarca russo em um resort de luxo em Ibiza. Quando a mulher expressa interesse em ganhar o controle do tabloide de maior circulação do país, o Kronen Zeitung, Strache sugere que ele poderia oferecer contratos públicos lucrativos em troca de apoio à sua campanha.

Leia: "Escândalo de Ibiza" derruba vice-premiê de extrema direita na Áustria.

Era uma armadilha, assinala a Rádio França Internacional. Sebastian Kurz agiu rápido para conter a crise, afastando Strache e rompendo a coalizão com o FPÖ. Mas o estrago estava feito. Além da oposição, a extrema direita também passou a agir pela saída do primeiro-ministro, selada ontem.

Paradoxalmente, a derrubada de Kurz ocorreu um dia após o sucesso de seu partido, o conservador Partido Popular Austríaco (ÖVP) na eleição para o Parlamento Europeu, ocorrida no domingo. O ÖVP recebeu a maior votação já alcançada por um partido austríaco nas eleições europeias desde a adesão do país à União Europeia em 1995, com cerca de 35,4% de votos.

Sebastian Kurz tomou posse como primeiro-ministro da Áustria no dia 18 de dezembro de 2017. Com 31 anos na época, tornou-se o mais jovem governante da Europa. Agora, é o primeiro chanceler austríaco a ser derrubado por uma moção de censura, apesar de suas altas taxas de popularidade.

O presidente da Áustria, Alexander Van der Bellen, nomeou hoje (28) um governo provisório liderado pelo ex-ministro das Finanças Hartwig Löger, também do ÖVP. As eleições legislativas para a formação de um novo governo estão marcadas para setembro. 

Leia mais: Protestos contra extrema-direita marcam posse de novo governo na Áustria.

'
Enviando