Home > ADVILLAGE > CPI das Fake News vai ouvir o general Santos Cruz na próxima terça

ADVILLAGE

22/11/2019 08:19 por Advillage

CPI das Fake News vai ouvir o general Santos Cruz na próxima terça

Ex-ministro será indagado sobre "milícia digital" próxima a Bolsonaro que teria causado sua saída do governo

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fake News deverá ouvir na próxima terça-feira (26), a partir das 13h, o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, general Carlos Alberto dos Santos Cruz. O requerimento para ouvir o general foi feito por dois parlamentares que integram a CPI Mista, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) e o deputado Marcelo Ramos (PL-AM).

O senador justificou o convite destacando que o general Santos Cruz se demitiu após ataques nas redes sociais. E que teria já se manifestado seu interesse em depor na CPI. “Segundo o general, uma milícia digital, uma gangue de rua que se transfere para dentro da internet, ligada a apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, causou a sua saída da Secretaria-Geral”, disse Carvalho.

Na mesma linha, o deputado Marcelo Ramos justificou o convite, citando uma entrevista do general, que deu nome aos mentores dos ataques que sofreu nas redes sociais. “O ex-ministro-chefe deu uma entrevista ao jornal O Globo na qual fez comentário a uma hashtag #ForaSantosCruz, dizendo que não se tratava de um ato espontâneo, mas que era alvo de uma ação coordenada com a participação dos filhos do presidente, o chefe da Secretaria de Comunicação, Fábio Wajngarten, e assessores ligados ao ‘guru do presidente’, Olavo de Carvalho”.

A CPI é presidida pelo senador Ângelo Coronel (PSD-BA) e relatada pela deputada Lídice da Mata (PSB-BA). Essa será a 13ª reunião da comissão, seis delas audiências públicas para ouvir 13 convidados e dois convocados. A audiência que ouviria a deputada Joice Hasselman (PSL-SP), que seria realizada no dia 20 de novembro, foi adiada a pedido da própria deputada.

Leia também: Blogueiro diz na CPI das Fake News que "combate o comunismo e a guerrilha armada" no Brasil.

Siga-nos no Twitter

'
Enviando