Home > DOCES E SALGADOS > Para ministros do STF, motim de PMs é “um perigo” e “inadmissível”

DOCES E SALGADOS

21/02/2020 09:50 por Redação

Para ministros do STF, motim de PMs é “um perigo” e “inadmissível”

Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski externaram preocupação com episódio de violência em Sobral, no Ceará

O episódio de violência que culminou com disparos de arma de fogo que atingiram o senador Cid Gomes (PDT-CE) na última quarta-feira (19), em Sobral (CE) repercutiu nesta quinta-feira junto a ministros do Supremo Tribunal Federal.

O ministro Alexandre de Moraes classificou como "ilegal" e "inadmissível" a paralisação de policiais militares do estado, contra a qual se insurgiu o senador, que avançou, com uma retroescavadeira, contra os portões do 3º Batalhão da PM. Já o ministro Lewandowski disse que o episódio representa "um perigo para as instituições".

Moraes defendeu a punição para os policiais que aderiram ao movimento no Ceará e disse que os policiais não deveriam ter atirado com arma de fogo contra Cid Gomes, uma vez que a situação poderia ter terminado em um "morticínio gigantesco". "O que vem acontecendo no Ceará é inadmissível. Crime de dano ao patrimônio público, destruindo viaturas, tiros", declarou o ministro que considerou o movimento como "ilegal", e que precisa ter "consequências tanto na Justiça comum quanto na criminal". 

Contra o senador – Já deputado capitão Wagner (Pros-CE), considerado um líder por uma parcela de PMs cearenses, disse que pretende acionar o Conselho de Ética do Senado e a Procuradoria-Geral da República contra o senador Cid Gomes pelo episódio da retroescavadeira. "A gente está colhendo alguns documentos aqui que comprovam que policiais e esposas saíram lesionados. A gente vai procurar a PGR para que tome providências", disse o parlamentar ao site Congresso em Foco.

Inquéritos policiais

Até o momento, quatro policiais militares que participaram do movimento estão presos e irão responder por atos criminosos. Na madrugada de ontem, um PM foi preso após atear fogo em um veículo particular.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), cerca de 300 inquéritos policiais militares já foram instaurados na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD).

A Secretaria também informou que todos os investigados serão excluídos da folha de pagamento deste mês pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) e sofrerão as punições previstas em lei.

Leia: Cid Gomes deve ser transferido nesta manhã para Fortaleza.

'
Enviando