Home > ADVILLAGE > Para Libération, direita brasileira é obcecada em aniquilar Lula

ADVILLAGE

14/07/2017 10:22 por Advillage

Para Libération, direita brasileira é obcecada em aniquilar Lula

Jornais franceses continuam repercutindo condenação, destacando favoritismo em pesquisas e a expectativa pela decisão em segunda instância

A imprensa francesa continua repercutindo a condenação do ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de prisão sentença imposta nesta semana pelo juiz Sérgio Moro. Três dos principais jornais da França abordam o assunto nesta sexta-feira (14), assinala a Rádio França Internacional.

"Lula condenado, mas não vencido" é o título de matéria do jornal Libération. "Aos 71 anos, Lula viu seu prestígio atingido pelo escândalo que teria começado durante seu governo. Mas isso não impede que ele esteja na liderança das pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais de 2018, com 30% das intenções de voto", ressalta o diário.

Segundo o Libé, de tendência progressista, a forte popularidade do ex-presidente deixa a direita brasileira obcecada em aniquilá-lo. Mas Lula, “símbolo da afirmação das classes populares", pode ser impedido de se candidatar apenas se houver uma condenação em segunda instância", pondera o jornal.

Estrada "engarrafada" – “Lula: a presidência se afasta", sentencia matéria do Le Figaro assinada pelo correspondente no Rio de Janeiro, Michel Leclerq. O diário conservador é menos otimista e considera que "a estrada em direção ao Palácio do Planalto está engarrafa para o ex-presidente", que também lembra que Lula só ficará se condenado em segunda instância.

Para o Le Figaro, o pior em todo este cenário é o aprofundamento da polarização entre os brasileiros. Seja nas redes sociais, nas ruas ou no Congresso, a população está se destruindo ao tomar partido ou de Lula ou do juiz Sérgio Moro. Isso porque, analisa o jornal, os cidadãos são bombardeados diariamente por revelações de corrupção envolvendo as elites do país – incluindo o atua presidente, Michel Temer, que corre o risco ser destituído.

Oito pontos - Já o Le Monde tenta explicar a condenação de Lula em oito pontos para seus leitores. O diário centrista lembra que o ex-presidente se diz vítima de uma "caça às bruxas" e continua negando as acusações, ressaltando que não há provas concretas que mostrem que cometeu os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

O Partido dos Trabalhadores, que Lula fundou nos anos 80, denuncia uma condenação política, que suscita reações intensas no país. "Primeiro chefe de Estado brasileiro vindo da classe operária, o ex-presidente é adorado por parte da população e detestado por outra, diz Le Monde. Conseguir ou não se candidatar para as próximas eleições depende da evolução do processo na lenta justiça brasileira", conclui o jornal.

Leia também: Condenação de Lula é "terremoto político", diz imprensa internacional.

Siga-nos no Twitter

'
Enviando