Home > DOCES E SALGADOS > Mercado financeiro reduz projeção de crescimento do PIB em 2019 para 1,45%

DOCES E SALGADOS

13/05/2019 09:08 por Redação

Mercado financeiro reduz projeção de crescimento do PIB em 2019 para 1,45%

Analistas ouvidos para o Boletim Focus reduziram também a estimativa de expansão da indústria para 1,70% este ano

Analistas de mercado e de instituições financeiras ouvidos semanalmente pelo Boletim Focus, do Banco Central, mantiveram em 4,04% a estimativa de inflação em 2019. A meta do BC para a inflação deste ano é de 4,25%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Em abril o IPCA ficou em 0,57%, abaixo da previsão do Focus (0,60%). Em maio o índice deverá variar 0,30%. O resultado oficial deste mês será informado pelo IBGE no dia 7 de junho.

O IGP-M variou 0,92% em abril, acima do previsto pelos economistas (0,80%). A estimativa para maio é de uma taxa de 0,40%. Para o acumulado de 2019, os analistas acreditam num índice de 5,86%.

Juros – Em sua primeira reunião de 2019, realizada nos dias 5 e 6 de fevereiro, o Comitê de Política Econômica do Banco Central manteve a Selic em 6,50% ao ano, patamar fixado em março do ano passado. No segundo encontro do comitê, nos dias 19 e 20 de março, também não houve mudança na taxa. Na terceira reunião, no dia 8 de maio, a taxa mais uma vez não foi alterada.

Para o final deste ano, a estimativa foi mantida em 6,50% a.a.. Para 2020 a previsão também foi preservada em 7,50% ao ano.

PIB – Para 2019, os economistas ouvidos pelo Focus diminuíram a previsão de crescimento da economia de 1,49% para 1,45%. Na produção industrial, a estimativa de crescimento foi reduzida de 21076 para 1,70%.

O prognóstico sobre os investimentos externos na produção (IED) em 2019 foi elevado de US$ 82 bilhões para US$ 83,29 bilhões. Para o dólar, a projeção é de que a moeda americana fechará o mês de maio em R$ 3,90.

Comércio exterior – Para 2019, a projeção de superávit da balança comercial foi reduzida de US$ 50,39 bilhões para US$ 50 bilhões, abaixo do saldo positivo de US$ 58,6 bilhões alcançado em 2018.

'
Enviando