Home > ARTIGOS > Redução na meta de inflação de 2022 traria impactos baixistas sobre as taxas longas de juros

ARTIGOS

05/06/2019 12:10 por Redação

Redução na meta de inflação de 2022 traria impactos baixistas sobre as taxas longas de juros

Eventual diminuição para 3,5% aproximaria o Brasil dos países emergentes com melhor reputação; definição do CMN ocorrerá no final deste mês

Robson Rodrigues Pereira*

No final deste mês o Conselho Monetário Nacional (CMN) definirá a meta de inflação para 2022. Uma eventual redução adicional para 3,5% aproximaria o Brasil dos países emergentes com melhor reputação.

Os impactos positivos da redução da meta não se limitam aos juros de curto prazo. As taxas mais longas na curva de juros – as que efetivamente afetam as decisões dos agentes econômicos – também tendem a ser impactadas pelo anúncio antecipado de redução da meta de inflação. Os efeitos de juros longos mais baixos sobre a economia tendem a ser bastante relevantes, em termos de custo de financiamento, desenvolvimento do mercado de capitais e precificação dos ativos financeiros.

Em termos conjunturais, avaliamos que uma eventual redução da meta de 2022, a ser definida no final deste mês, não seria impeditivo para um afrouxamento monetário no segundo semestre, como previsto em nosso cenário. Os efeitos expansionistas de quedas de juros sobre a atividade econômica e os preços seriam compensados por revisões baixistas adicionais nas expectativas de inflação para horizontes maiores. Em um ambiente no qual há o comprometimento crível com uma inflação cada vez menor no médio prazo, as expectativas tendem a continuar ancoradas, o que também é favorecido pela presença de ociosidade na economia.

Além disso, o ano de 2022 está substancialmente distante do horizonte típico de política monetária, o que torna o cenário ideal para reavaliação da meta: ganha-se em convergência praticamente sem custos de curto prazo. Nesse sentido, a continuidade do processo de convergência da meta para padrões internacionais constituiria vetor adicional de recuperação da confiança econômica, com impactos positivos sobre a economia.

Clique no botão DOWNLOAD, logo abaixo, para ler o artigo com gráficos e tabelas.

* Robson Rodrigues Pereira é é economista do Departamento de Estudos e Análises Econômicas do Bradesco.

DOWNLOAD '
Enviando