Home > DOCES E SALGADOS > Após estagnação em fevereiro, produção industrial recuou 1,8% em março

DOCES E SALGADOS

03/05/2017 09:47 por Redação

Após estagnação em fevereiro, produção industrial recuou 1,8% em março

Houve baixas em 15 dos 24 ramos investigados; em 12 meses, a indústria acumula queda de 3,8%

Após a variação nula (0,0%) em fevereiro, a produção industrial caiu 1,8% em março, em relação ao mês anterior. No confronto com o terceiro mês de 2016, porém, houve avanço de 1,1%.

Com os números de março, a produção da indústria acumulou recuo de 3,8% em 12 meses. Nos três primeiros meses de 2017 o setor acumula alta de 0,6%. Os analistas do mercado financeiro consultados semanalmente pelo Boletim Focus, do Banco Central, estimam que a produção industrial fechará o ano com crescimento de 1,47%.

Os dados da Pesquisa Industrial Mensal do IBGE têm ajuste sazonal.

O maior recuo entre os indicadores da produção industrial em março, em relação a fevereiro, ocorreu em bens de consumo duráveis (-8,5%). A mesma categoria havia anotado a maior alta noi mês anterior (+7,1%).

Os resultados de março/17, em relação ao mês anterior, por categoria de uso (os percentuais entre parênteses indicam o acumulado em 12 meses):

• Bens de capital: -2,5% (-2,3%)
• Bens intermediários: -2,5% (-4,2%)
• Bens de consumo: -2,7% (-3,4%)
- duráveis: -8,5% (-5,5%)
- semiduráveis e não duráveis: -1,8% (-2,9%)
Indústria geral: -1,8% (-3,8%)

Em março, 15 dos 24 ramos industriais pesquisados tiveram queda na produção, em relação a fevereiro.

Os ramos industriais em baixa:

• Produtos farmoquímicos e farmacêuticos: -23,8%
• Móveis: -11,0%
• Produtos diversos: -7,9%
• Veículos automotores, reboques e carrocerias: -7,5%
• Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos: -6,4%
• Máquinas e equipamentos: -4,9%
• Vestuário e acessórios: -4,7%
• Coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis: -3,3%
• Produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos: -3,2%
• Outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores: -2,6%
• Produtos do fumo: -1,8%
• Borracha e plástico: -1,5%
• Produtos têxteis: -1,3%
• Indústrias extrativas: -1,1%
• Minerais não metálicos: -1,0%

Em alta:

• Produtos de madeira: 3,7%
• Artefatos de couro, artigos para viagem e calçados: 2,3%
• Celulose, papel e produtos de papel: 2,0%
• Produtos alimentícios: 1,3%
• Outros produtos químicos: 1,2%
• Perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal: 0,5%
• Máquinas, aparelhos e materiais elétricos: 0,4%
• Metalurgia: 0,4%
• Bebidas: 0,1%

'
Enviando