Home > DOCES E SALGADOS > Centrais sindicais fazem atos pelo Dia do Trabalho em todo o país

DOCES E SALGADOS

02/05/2019 07:43 por Redação

Centrais sindicais fazem atos pelo Dia do Trabalho em todo o país

Em SP, pela primeira vez as centrais se reuniram no mesmo local; na TV, Bolsonaro discursa sem fazer referências a "trabalhador" e "emprego"

O Dia do Trabalhador foi comemorado em todo o país nesta quarta-feira (1º) com atos e shows na maioria das capitais e em municípios do interior. Os eventos foram promovidos por centrais sindicais, que aproveitaram a data para se posicionar em defesa dos direitos dos trabalhadores, contra o desemprego e por melhores salários, e se manifestar contrários à proposta de reforma da Previdência, que tramita no Congresso Nacional. Foram recorrentes as palavras de ordem por "Lula livre".

Além dos atos promovidos por centrais sindicais, em algumas cidades, como no Rio de Janeiro, o governo local organizou ações sociais com emissão de documentos, atividades para crianças e vacinação contra gripe.

Brasília - A comemoração dos trabalhadores foi realizada no Taguaparque, localizado em Taguatinga, cidade do Distrito Federal. Foram montadas tendas de serviços e de oficinas criativas com brincadeiras para crianças, feira de adoção de animais de pets e exposição de carros antigos. Estavam previstos shows da cantora Vanessa da Mata e da dupla sertaneja Israel e Rodolffo.

Rio de Janeiro – Houve um ato ocorreu na Praça Mauá no início da tarde, com desfile de um bloco carnavalesco contra a reforma da Previdência. Já a prefeitura e o governo do estado realizaram mutirões em diferentes pontos da cidade. Na Vila Olímpica Mané Garrincha, no Caju, na zona portuária da cidade milhares de pessoas aproveitaram a data para tirar documentos como carteira de trabalho e identidade.

São Paulo - O ato deste ano reuniu, pela primeira vez no mesmo local, dez centrais sindicais – incluindo a Central Única dos Trabalhadores e a Força Sindical –, além das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. O público começou a se reunir no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista, por volta das 10h. A programação do evento, com estimativa de duração de 12 horas, incluiu apresentações artísticas, além de três blocos de atos políticos.

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, destacou o ineditismo do ato unificado: "Esse ato é histórico, era um sonho do movimento sindical a unidade das centrais, há muito tempo. Os trabalhadores tinham esse anseio e conseguimos este ano, então é um ponto histórico, é um momento também de muita dificuldade. Acho que essas dificuldades fizeram o movimento sindical ser mais maduro e se unificar, respeitando as diferenças, mas com um objetivo único, que é contra uma reforma da Previdência", disse.

Sul e Nordeste - Na Região Nordeste, foram registrados atos em Campina Grande (PB), Nova Russas (CE), Salvador e Recife. No Sul, em Curitiba, os trabalhadores participaram de uma missa e fizeram uma caminhada em defesa da aposentadoria.

Pronunciamento de Bolsonaro

Em curto discurso em rede nacional de rádio e televisão pelo Dia do Trabalho, o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo tem compromisso com a liberdade econômica e destacou uma medida provisória assinada na véspera. É uma iniciativa do nosso Ministério da Economia, que restringe o papel do Estado no controle e na fiscalização da atividade econômica”.

Em nenhum momento Bolsonaro pronunciou as palavras “trabalhador” e “emprego”. A íntegra do discurso:

“Senhoras e senhores, boa noite.

Na data de ontem, foi realizada a cerimônia de assinatura da Medida Provisória que trata da declaração dos direitos de liberdade econômica, cuja a finalidade é estabelecer, principalmente, garantias de livre mercado.

É uma iniciativa do nosso Ministério da Economia, que restringe o papel do Estado no controle e na fiscalização da atividade econômica. Está concretizada em direitos considerados essenciais ao crescimento do país, dos quais destaco:

• desenvolver a atividade econômica de baixo risco para o sustento próprio da sua família;
• produzir, empregar e gerar renda, assegurada a liberdade para o desenvolvimento econômico;
• não ter restringida, por qualquer autoridade, sua liberdade em definir o preço de produtos e serviços;
• receber tratamento igualitário de órgãos e de entidades da administração pública, dentre outros.

Esse é o compromisso do meu governo com a plena liberdade econômica, única maneira de proporcionar, por mérito próprio e sem interferência do estado o engrandecimento de cada cidadão.

O caminho é longo. Eu sei que, unidos, ultrapassaremos essas dificuldades iniciais que são naturais nas transições de governo. Especialmente, se as concepções políticas forem antagônicas.

O Brasil elegeu a esperança, razão pela qual estarei sempre atento para não decepcioná-lo. É o meu compromisso com você neste Dia do Trabalho.

Boa noite.

E que Deus abençoe o nosso Brasil”.

'
Enviando